terça-feira, 26 de janeiro de 2016

cheguei atrasado, estava no trânsito (um texto para SP)

São Paulo tem um punhado de janelas acesas com um monte de sonhos em forma de pessoas que acordam cedo, que vivem correndo, que vão pra cima de manhã e pra baixo à noite, que quase não param – sonhos não podem esperar. Sim, são esses sonhos os responsáveis por fazer com que essa cidade tenha o cinza mais colorido que já existiu.

Deve ser por isso que a minha São Paulo – acho que já ganhei o direito de chamá-la assim – tem essa magia de me fazer enxergar cores onde não tem, de ver uma beleza nem sempre evidente. São os sonhos, tenho certeza. São Paulo é a cidade da realização – por isso tanta beleza.

Sonhos são amores que, por aqui, se camuflam em relógios que não dão trégua, em prédios que quase alcançam o céu, em reuniões intermináveis, em paletó e gravata. Os sonhos de São Paulo têm várias caras, um monte de forma e uma infinidade de sorrisos.

Pois é, a minha São Paulo é assim:
transpira
mas inspira
é selva
é pedra
é um pouco de caos
e um tanto de paz

Essa é a cidade que me faz feliz.

PS: São Paulo, seu aniversário foi ontem, eu lembrei, mas só consegui escrever o texto hoje – cheguei atrasado porque eu estava parado no trânsito. Normal...




Nenhum comentário:

Postar um comentário