quinta-feira, 4 de setembro de 2014

por que essa cara?

Responde, vai: por que você tá com essa cara? E nem vem me dizer que é a única que você tem porque isso eu sei. Não foi por essa cara que eu me apaixonei lá trás, você sabe muito bem disso. Eu só queria entender por que você está assim. É pedir muito? Acho que tenho o direito de saber. Você sempre me conta o motivo dos seus sorrisos, por que não falar o que te faz ficar assim, com esses olhos de raiva e com essa cara torta? É mais ou menos aquilo que o padre fala lá no altar pouco antes do sim.  

Não precisa nem dizer: eu sei que a gente não é marido e mulher, mas a regra cabe também. Ora! Convivemos juntos quase todos os dias. Andamos de mãos dadas nas ruas. Vamos ao cinema. A bares. Restaurantes. Você frequenta a minha casa. Eu frequento a sua. A gente é um casal. Cúmplices. Eu sei que não gosta dessa palavra, acha romântica demais, mas é isso. Sabe o que significa ser cúmplice? Vou ler aqui pra você. Cúmplice é... Tá bom, tá bom! Parei de mexer na merda do celular. Sei que você não gosta que eu mexa no celular enquanto falo, mas garanto que isso não é o motivo da sua cara feia.

É?

Não!

Então fala o motivo, por favor! Não custa nada. Vamos brincar de adivinha? Você está assim porque eu cheguei tarde ontem e esqueci de ligar? Se for, eu já pedi desculpas. É isso? Bom, pelo seu silêncio, não. Errei. Já sei: deve ser porque a gente não conseguiu se ver na segunda à noite? Tive que ficar até tarde no trabalho, lembra que te avisei na semana passada? Foi isso? Errei de novo. Bom, então vamos continuar... Eu, irônico? Imagina. Eu sei que você não gosta de ironia, mas estou tentando conversar sério e você não tá nem aí. 

Ah, já sei por que você está assim. É por causa daquela menina, não é? Desculpa, você tá viajando, sério. Porque a gente não tem nada a ver. Inclusive ela já até falou pra gente sair junto porque ela adoraria te... Posso continuar? Obrigado. Porque ela adoraria te conhecer. Pense um pouquinho: se eu tivesse algo com ela, você acha que...

Na boa, estou cansando já! Por que você não fala logo o que te deixa assim? Seria tão mais prático. Você me fala o porquê, a gente conversa, acerta os ponteiros e sai pra comer, como se nada tivesse acontecido. Olha que bacana seria. Podemos aproveitar que ainda tá cedo e ir naquele restaurante que você gosta. Mas, pelo jeito, além dessa cara feia aí, você também ficou surda, ou está se fingindo de. Agora eu só te falo uma única coisa: não vou ficar aqui falando sozinho, supondo motivos que justifiquem a sua cara fechada. Não quero ser contaminado com esse seu mau humor. Mas, antes, me escute mais um minuto só: sou seu amigo, acima dos nossos beijos. Ouviu?

Tá, então fala! 

TPM? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário