terça-feira, 3 de dezembro de 2013

macumbeiro por alguns minutos

Você também deve ter um amigo que, vira e mexe, te coloca em enrascada. Diz aí?

Eu tenho um. E a última que ele me colocou foi na semana passada, ao pedir para ajudá-lo nas compras do supermercado. Ok, pensei, ele está sem carro e deve ser muita coisa pra carregar.

Logo na entrada, ele apanhou um ramalhete de flores brancas. Olhei apenas – um pouco desconfiado, confesso. Vamos ali agora, disse. Calado, segui os seus passos. Por um instante, me distrai e, quando voltei, ele estava com uma vela – dessas de não sei quantos dias – nas mãos.

Você passa essa vela que eu passo as flores, ele pediu – detalhe: num tom de voz quase inexistente de tão baixo. Segurei a gargalhada e fiz o que ele me pediu. Vou ali agora pegar alguma coisa pra disfarçar, completou. De longe, acompanhei-o. Pronto, falou com um cesto preto de lixo que mais parecia um tambor por entre os braços.

Ainda incomodado, ele disse que precisava pegar mais alguma coisa apenas para não dar na cara que faria uma oferenda. De repente, ele volta com um frango congelado. Olhei e, antes de a risada explodir, ele desenvolveu o bicho na geladeira.

Na fila do caixa, os olhares se evitavam para não dar motivos à gargalhada. E assim foi até a moça fazer um breve comentário, meio seco: se for para oferenda, essa vela não serve.

Pedi desculpas a ele e fui esperá-lo no carro.

Um comentário: