terça-feira, 10 de setembro de 2013

o amor precisa de mais segundas intenções

Você está com segundas intenções que eu sei, esbravejou.

E ela tinha razão, não vou negar, mas o que me deixou mais intrigado não foi o fato de ela ter descoberto o que eu estava planejando pr’aquela noite, e sim, essa coisa que algumas mulheres têm contra as tais segundas intenções. Juro que não entendo.

Medo, talvez – foi o que pensei assim que desliguei o telefone, ainda meio atônito. Mas ela me conhecia e sabia que eu estava longe de ser um serial killer, se era esse o grande pavor dela. Estava apenas planejando algo diferente, só isso.

Um relacionamento precisa de segundas intenções. Precisa da surpresa, daquele convite meio assim, meio assado que surge quando você menos espera. Precisa do vinho no lugar da cerveja corriqueira do boteco e das palavras meio tortas, jogadas no meio da noite de uma segunda-feira despretensiosa.

Segundas intenções não servem apenas para o sexo.

O que muita mulher não entende é que elas (as segundas intenções) são do bem. As primeiras que são do mal. São as que vão direto ao assunto, sem beijos no canto da boca nem abraços repentinos dentro do carro no meio de um congestionamento monstro. As primeiras são aquelas do sim ou do não, sem alternativas.

Já as segundas são diferentes: elas são do talvez, do quem sabe, do poder ser, do vamos ver – mas que, no fundo, são as melhores certezas que podem existir num relacionamento. É isso.

2 comentários:

  1. DE AMANDA FRANÇA, VIA FACEBOOK:

    Ahhhhh disse tudo...é ai que mora a graça!!!

    ResponderExcluir
  2. DE ANA CAMILA CAMPOS, VIA FACEBOOK:

    adorei

    ResponderExcluir