terça-feira, 4 de setembro de 2012

até nunca

Não quero mais o seu sorriso rápido,
nem essa sua felicidade vazia,
interminável,
que faz da noite um dia...

Não quero mais sentir seu cheiro de euforia,
que maltrata,
tampouco o seu prazer,
que judia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário