terça-feira, 20 de março de 2012

você tem que procurar um amor!

Nunca fui muito fã de conselhos – amorosos, então... Nem me fale! Sempre acreditei que palavras dificilmente trazem algum tipo de conforto à pessoa que sofre com uma desilusão. Elas são abstratas demais para acalentar um coração que está aos pedaços. Você pode até me achar um sujeito pessimista ou gélido, mas conselhos são inúteis quando o sofrimento é agudo. Não resolvem. São como pedras pequeninas que jogamos num rio volumoso.

Enfim: tudo isso para falar de uma cena que presenciei na semana passada, enquanto aguardava a minha vez na fila do supermercado.

Pelo o que eu entendi, uma das garotas à minha frente sofrera uma grande desilusão amorosa. Apesar de nunca ter a visto antes, eu senti que ela estava mal, coitada. Cabeça baixa. Um olhar profundo. E as poucas palavras que pronunciava saíam num tom baixo. Realmente devia ter perdido o grande amor da sua vida. A amiga, por sua vez, não deixou de cumprir o seu papel: em meio a abraços afetuosos, ela disparava palavras a fim de acertar no alvo da motivação de sua parceira.

- Acho que você precisa procurar um amor, isso sim! - disse.

Bom, agora você me entende por que eu nunca fui adepto de conselhos amorosos? Amor não se procura, ora bolas – acontece, surge e por aí vai. Aliás, é assim com qualquer outro sentimento. Nunca ninguém coloca uma roupa bonita, passa o melhor dos perfumes e sai disposta a encontrar a pessoa da sua vida. O amor é tão sacana que quase sempre surge quando você está com a pior roupa, com os cabelos alvoroçados, sem perfume e às duas da tarde de uma segunda-feira despretensiosa.

O amor, pelo o pouquíssimo que eu conheço dele, não gosta de ser procurado. Ao contrário: prefere ser ignorado, desdenhado e, às vezes, até mesmo esquecido. É só não pensar que ele surge – e surge sempre do lugar que você menos imagina. Entende por que procurá-lo é sempre em vão?

6 comentários:

  1. DE THATIANE LEME, VIA FACEBOOK:

    Sem mais comentários... Muito bom! ;-)

    ResponderExcluir
  2. Lívia Guimarães Gussen20 de março de 2012 18:08

    É mesmo... esse tal de amor é que nos acha!

    ResponderExcluir
  3. DE MARCELO SILVA DE SOUSA, VIA FACEBOOK:

    Falastes bem meu caro! Joinha pra vc!!!

    ResponderExcluir
  4. Levantou um ponto muito importante; mas eu gostaria de ir para o outro lado do debate: o que é o amor?

    É a intesidade de sentimentos, sentimentos tantos que lhe fazem mal quando os perde ou seria um complemento a todos eles?

    Acho que antes de buscar o amor, as pessoas deveriam buscar a si mesmas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito!
      Dizem que o amor de verdade só é apresentado àquele que, antes de tudo, aprendeu a se amar.
      VNovaes

      Excluir
  5. O amor não se procura, acontece quando menos se espera. Li certa vez que as pessoas confundem "amar" com !querer, desejar".
    O assunto é profundo. Pensem nisto!

    ResponderExcluir