terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

a um passo

Olhando pra ela, lá no fundo, ele apanhou um pedaço de papel e escreveu:

Diz-me: onde encontro a coragem
para, um dia, eu dizer o que,
por você, sinto.

E ela, olhando pra ele, rabiscava um desabafo:

Não existe dor maior
do que eu ter que calar o meu próprio
coração.

Um comentário: