quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

a saga do último pedaço

Havíamos pedido uma travessa de parmegiana. E a propósito, um parêntese: que me perdoe minha mãe, mas aquele foi o melhor que já comi até hoje. Voltando. Era algo de outro mundo. De encher os olhos mesmo. Na travessa, vinham uns seis, sete bifes. Gigantes. Com uma espessa camada de queijo borbulhante e com um molho de coloca em xeque qualquer dieta. Comemos feito uma criança depois de uma tarde inteira de futebol. E as palavras, detalhe, pouco surgiam – ou quase nunca, pra falar bem a verdade.

Os mais espertos, antes mesmo de abocanhar o último pedaço ainda no prato, tratavam logo de empunhar o garfo para sequestrar mais um bife e levar para o cativeiro, de onde nunca mais sairia. E assim foi até que chegou a vez do último pedaço. Nessa hora, a mesa silenciou-se. Ninguém falava mais nada. Absolutamente nada. Quando surgia uma palavra, era algo sem sentido. Praticamente grunhidos. E só. Os olhares eram ora vagos, ora no último pedaço de parmegiana que agonizava ali naquela travessa.

Mas o silêncio, depois de tudo isso, havia sido quebrado.

- Vai esfriar o bife, heim?! – disse um dos que estava sentado conosco.

Todos entenderam que ele queria traçar o caçula da bandeja. Mesmo assim, todos continuaram mudos. O garçom chegara e eu havia pedido mais uma água.

- Dizem que quem come o último pedaço não casa, né?! – brincou – adivinha quem? – sim: o mesmo do comentário anterior.

Parece que havíamos combinado. Começamos a conversar sobre o Corinthians, depois sobre as férias e sobre carro. O nosso amigo era único quieto, coitado. Eu olhava em suas mãos e via o garfo sambando entre seus dedos. Ele estava resistindo, mas, como uma bomba-relógio, disparou:

- Sei que é falta de educação, mas é um desperdício deixar esse último pedacinho aqui. Eu juro que tenho educação. Eu juro que não sou...

Eu peguei o bife e coloquei em seu prato. Parecia uma criança feliz.

PS: Eu contei esse episódio aqui só pra tirar uma dúvida: quem falou que é falta de educação comer o último pedaço? Para mim, desperdiçar comida é algo muito mais terrível. Certo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário