quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

enquanto o sono não vem...

Num papel em branco, eu desenho os meus sonhos. Escrevo-os sem pudor. Rabisco o meu futuro livremente. Penso e repenso as decisões que, talvez, eu nunca precise tomar. Pinto o desenho dela. À mão mesmo. Perco um tempo de propósito. Reinvento a minha vida. Do meu modo. Esqueço os meus problemas e invento alguns mais fáceis -- só pelo gosto de resolvê-los. Brinco com a solução como se fosse um quebra-cabeça. Dou risada sozinho. Uma gargalhada que estremece o silêncio. Tiro uma com a cara da solidão. E olho para o teto do meu quarto até tudo começar a ficar escuro... Até amanhã.

--------

E o que você costuma fazer quando o sono não vem?

Um comentário:

  1. Vinícius, a questão é que o sono sempre vem. Como sou um 'tantinho' assim da roça, depois das dez badaladas noturnas, a boca começa a abrir sem parar, o corpo vai ficando encostado, os olhos pesam, Morfeu fica me chamando com um jeito doce, amoroso, complacente, sedutor... Dizem que quando digo, 'acho que vou dormir', já dormi. Aqui, teria que ficar acordada, muito para escrever, mas a NATUREZA não quer nem saber, só depois, 05:30.
    Adorei seu meandro para o sono.

    ResponderExcluir