terça-feira, 21 de dezembro de 2010

alguém inventa a cura da ressaca, por favor!

Pense comigo: o homem já descobriu a cura de várias doenças, já inventou o avião, a internet, o espremedor de laranja, o microondas, a roda, a escada rolante, o iPhone, o iPad, o pen drive, a Lady Gaga, a televisão, o sexo virtual, o namoro virtual, o cartão de crédito, o disk pizza e o fast food. Tudo isso já foi inventado -- menos alguma coisa que tivesse o poder de combater a ressaca. Uma pílula que fosse já seria o ideal. 

Se tivesse inventado, garanto: eu não estaria escrevendo esta crônica com a cabeça inchada, latejando. Ou melhor: eu não estaria escrevendo esta crônica e nem estaria revoltado como estou exatamente agora. Se lá no passado algum filho de Deus, que gostasse de ir aos bares como eu gosto – é claro –, tivesse inventado alguma coisa que pusesse fim à maldita ressaca, o meu estômago não estaria na testa e o fígado espremido no dedão do pé. 

Minha dor de cabeça, por exemplo, seria por qualquer outro motivo – menos por causa daquelas caipirinhas de vodca da noite anterior. Já pensou? Se o homem usasse a inteligência para acabar com a ressaca, veja só, eu não levaria quase uma hora para escrever um e-mail de quatro linhas que acabei de mandar para o Marcelo, avisando que o churrasco do sábado está em pé. E nem me preocuparia com o domingo. E nem controlaria a minha vontade de beber a batida de abacaxi que a Aninha faz nos nossos encontros quinzenais. 

Seria tão bom se eu pudesse acabar com o meu enjoo.  Enjoo esse que já me obrigou a levantar umas três vezes daqui para dar um pulinho ali no banheiro. Tudo bem que foi rápido, mas é chato. Essa ressaca, que te deixa com e sem fome ao mesmo tempo, deveria ser coisa de mar apenas. O mar, só ele, é quem deveria ficar de ressaca. Não a gente, pô. 

E, como estou sem ideia para encerrar essa crônica, eu termino com a reflexão de um grande amigo. "É na ressaca que eu admiro quem não bebe". Isso ainda vai mudar, meu caro. Tenho certeza.

2 comentários:

  1. Eu não sou a pessoa certa p/ comentar essa crônica, já que tomo uns golinhos muito esporadicamente, mas sempre ouvi dizer que ressaca se cura com um banho frio e um bom café forte. será que é mentira, então?

    ResponderExcluir
  2. Oi Fátima! Tudo bem?

    É... Cura naquelas! Eu já ouvi que ressaca se cura com uma latinha de cerveja. Já testei todas. Mas... Confesso: não são nem um pouco eficazes. Quero que a cura desse mal seja vendida na farmácia, de preferência! rsrs...

    Um beijo,

    vn

    ResponderExcluir