terça-feira, 13 de abril de 2010

a confissão, o beijo e o terço

(Isso aconteceu há um bom tempo, mas lembrei desse episódio hoje em homenagem ao dia do beijo)
Padre: Você namora, meu filho?
Eu: Sim, padre. Namoro já faz quase cinco anos.
Padre: E você faz, faz... Bobeira com a moça?
Alguns segundos de mudez...
Eu: Bobeira, como assim, padre?
Padre: Bobeira é uma coisa só, meu filho!
Eu: Uai, eu namoro há quase cinco anos, né?
Padre: E essa é a primeira vez que você se confessa depois de ter feito essas bobeiras?
Eu: Que eu me lembre, sim... Mas isso é pecado?
Padre: Claro que é.
Eu: Não estou entendendo.
Padre: Então, me explique o ponto que você não está entendendo?
Eu: Esse papo de bobeira. Confesso que não consigo entender o que seria isso.
Padre: Vou tentar te explicar...
Eu: Hum...
Padre: Você namora há um bom tempo, né?!
Eu: Sim...
Padre: Você sai de mãos dadas com a sua namorada, né?!
Eu: Sim...
Padre: Então você deve beijá-la, né?!
Eu: Claro!
Minha penitência: um terço.
(Desde esse dia, nunca mais voltei a uma igreja. Ser contra o beijo é demais pra minha boca, quer dizer, para a minha cabeça)

2 comentários:

  1. Ainda bem que a bobeira ficou só no beijo hen? Senão, qtos terços vc teria que rezar?? hahaha Boa Vini!! E tenho um dia cheio de beijosss

    ResponderExcluir
  2. Tb fico pensando quantos terços eu teria que rezar... ui ... ainda bem que não confesso... bj... (opa! será que eu devo mandar um beijo pra voce??)

    ResponderExcluir