quinta-feira, 11 de junho de 2009

crônica do sem tempo crônico

Acho que não escrevo uma crônica assim, de verdade, desde... Já me esqueci. Ando com a cabeça a mil hora. Sei lá o que anda acontecendo com o meu dia, com o meu tempo. Ou melhor, sei sim: ando sem ele. Toda vez que sento pra escrever alguma coisa aqui no computador, algo surge. O último imprevisto foi culpa do meu irmão.

Estava no meu quarto, no silêncio necessário para começar a escrever, quando ele entra e pede:

- Tem como você me levar na casa da Camila?

“Tem sim”, respondi. E lá se foi a oportunidade de nascer mais uma crônica.

Naquele dia, se a memória não falha, eu ia escrever sobre o elevador. Sim, sobre esse treco que te leva pra cima e pra baixo todo santo dia. Eu ia contar um episódio que aconteceu numa segunda-feira de manhã, quando entrei no elevador e tinha um morador com o seu cachorro. Mas não era um cachorro normal; era O cachorro, daqueles que mais pareciam um bezerro, sabe?

Mas essa crônica não saiu.

Outro dia, num final de semana (sábado se eu não me engano – de novo), eu estava pronto para escrever sobre a buzina das motos no trânsito de São Paulo. Minha intenção era contar o que passei um dia, quando fechei um motoboy na Marginal. Ah, foi sem querer! Antes que pense mal de mim.

E, novamente, a crônica não saiu.

Também já ensaiei escrever sobre o mais novo sinônimo para ‘ficante’ (os mais velhos devem se perguntar: ‘o que é ficante?’) que escutei de uma amiga. Ela chama a paquera (melhorou?) de ‘belisco’. É isso mesmo: BE-LIS-CO. Pode? Fiquei pensando nessa amiga, saindo de casa num sábado à noite, e falando pra sua mãe: “Tô saindo com o meu ‘belisco’. Chego lá pela uma, tá?”. Imaginou?

Nem eu. Ainda não digeri a ideia. Ou melhor: o termo.

Ia escrever também sobre a vez que fui jog...

5 comentários:

  1. Foi levar o Gabriel na Camila?
    rsrs

    ResponderExcluir
  2. Eu sou a própria crônica do sem tempo ... pilates, loja, tv, põe roupa pra lavar, cuida da contabilidade e ainda tem que arrumar tempo para almoçar, jantar, ir ao banheiro ... tem dia que não dá !!
    Ligar pros amigos ou tomar um choppinho com eles então ... tá ficando cada dia mais raro !!
    Cansei !!!
    Saudades. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Belisco? hahahah
    Genial, cara! Genial! hehehe
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Vinícius, adorei a crônica. Atualmente, acho q todos nós estamos sofrendo desse mal , e eu bem sei o que é nao ter tempo nem p/ escrever... e tem dias q vc tem tempo, mas nao sabe sobre o quê escrever... porque é tanta coisa acontecendo, que é difícil condensar tudo e criar algo inteligente. difícil lidar c/ essa equação, né?

    ResponderExcluir
  5. Não sei porquê esta tal "falta de tempo" também tem me tirado algumas inspirações momentâneas, por isso destaco uma parte do texto em especial. "Toda vez que sento pra escrever alguma coisa aqui no computador, algo surge". Na minha vida, é a mesma coisa! Ótimo texto Vinicius. BJão

    ResponderExcluir